Reciclagem de solventes.

Reciclagem .

A WS Equipamentos fez um ótimo trabalho em desenvolver esta maquina recicladora de solventes e fez também um grandioso favor ao meio ambiente. 
Nós da área da pintura seja ela civil, industrial ou artística esperávamos há tempos por algo do tipo.
Segue o artigo de Jéssica Saura, Analista de Marketing na WS Equipamentos.

As sobras de tinta após pintura ou limpeza de equipamentos industriais se tornam resíduos perigosos e demandam um descarte específico e caro, certo?

O Conama (Conselho Nacional do Meio Ambiente) classifica tintas e solventes usados como resíduo de construção classe D pela resolução 307/2002. Tal tipo de lixo, por ser inflamável e contaminante, deve ser descartado em tambores fechados e tem um custo médio de descarte de R$ 2,50 /L. Com isso, empresas de pequeno, médio ou grande porte que geram muito desses resíduos devem gerenciá-los, providenciando o descarte responsável, e consequentemente, contabilizam um custo a mais com a logística reversa.

descarte de solventes

O tratamento do lixo comum, o gerenciamento dos resíduos industriais e a reciclagem de materiais são mais que atitudes sustentáveis isoladas, mas parte de um movimento coletivo com benefícios de ordem social, econômica e ambiental. Vemos, portanto, cada vez mais projetos de coleta seletiva, empresas especializadas em reciclar resíduos classificados e máquinas de reciclagem, por exemplo, como é o caso da recuperadora de solvente.
O descarte do solvente usado é feito por empresas especializadas, porém o reaproveitamento do solvente é possível e viável para realização in house, ou seja, pelo próprio gerador do resíduo. Esse é o objetivo principal de um equipamento recuperador de solventes. Por meio de destilação do solvente líquido sujo, o equipamento separa o solvente puro do restante dos materiais sólidos, possibilitando sua a reutilização e uma diminuição significativa no volume de resíduos.

Além da economia no descarte, a questão mais lucrativa na reciclagem do solvente é aumentar exponencialmente o ciclo de vida do produto, adiando novas compras, de tal forma que, dependendo do volume comprado mensalmente, o retorno do investimento em uma máquina recicladora de solvente pode se dar em até 4 meses. Para volumes menores, uma solução com ROI igualmente interessante pode ser obtida no formato de aluguel do equipamento.

Por exemplo:
Uma empresa tem 1.350 l de resíduo líquido de solvente acumulado.
Ao invés de descartar todo o volume, a companhia decide investir na locação de um recuperador de solvente com capacidade de 15l por ciclo no valor de R$ 2.350,00/mês.
Supondo-se que essa mesma empresa pague no fornecedor de solvente R$ 5,50/l e compre mensalmente 360l, seu custo mensal é de R$ 1.980.
Neste caso, se ele fizer 3 ciclos por dia e em cada ciclo forem recuperados 80% dos solventes, a empresa terá 1.080l de solvente reciclado para o próximo mês. Como ela usa 360l/mês, o solvente reciclado durará 3 meses (1080/360).
Em 3 meses, ela gastaria R$ 5.940 (3x1980) para comprar solvente novo, mas gastou somente R$ 2.350,00 para alugar a máquina, portanto, economizou R$ 3.590,00 em apenas 1 mês. Isso sem considerar a economia de um descarte de volume muito menor.
Compartilhe.

Nenhum comentário :