Tinta fosca, acetinado ou brilhante?

parede com brilho


Qual tinta deve-se usar para paredes, tetos e fachadas?


Quando pensamos em comprar um tinta, dentre as diversas variedades existentes no mercado, a primeira coisa é definir  acabamento, depois a cor.
Os látex comercializados no mercado brasileiro, tem três tipos de acabamento: fosco, acetinado e semibrilho. E a escolha fica a critério do gosto do consumidor.

Conforme explica Luis Mota , diretor da LM Coatings Adviser, os diferentes tipos de acabamento são obtidos alterando-se a quantidade de polímero (emulsão) na formulação do produto. O acabamento semibrilho é o que tem mais emulsão, o acetinado tem uma quantidade média e o fosco tem a quantidade menor.

Tinta fosca.


O acabamento fosco não tem brilho e ajuda a disfarçar defeitos e irregularidades nas paredes e tetos. Portanto, proporciona uma aparência uniforme em grandes áreas, mas pode acumular sujeira, manchas e tem maior tendência à proliferação de algas e fungos, além de tender a ficar lustroso com mais facilidade que as tintas mais brilhantes.

Tinta acetinado.


Já o acabamento acetinado possui brilho intermediário entre o fosco e o semibrilho. Sua intensidade de brilho também tem a capacidade de disfarçar imperfeições da parede e, normalmente, é uma versão que garante aquele “toque de seda” muitas vezes descrito na própria embalagem da tinta. É um acabamento que permite boa resistência à lavabilidade, mofo e algas.

Tinta semibrilho.


O acabamento semibrilho é o que proporciona maior brilho e reflexos intensos. Indicado para superfícies sem imperfeições, fica bem em portas, batentes e janelas. Antigamente, só existiam versões à base de solvente; hoje em dia já são fabricadas tintas brilhantes à base de água.

Diferença entre as tintas foscas.


Os três tipos de acabamentos, cada um com suas particularidades, garantem alta performance, contudo, Mota explica que os acabamentos semibrilho e acetinado ainda não possuem normatização nacional, porém, o acabamento fosco tem que atender a norma ABNT - NBR - 15079. Esta norma brasileira especifica o desempenho mínimo para três tipos de tintas foscas, a tinta látex premium fosca, a tinta látex standard fosca e a tinta látex econômica. Mota explica que o que diferencia basicamente essas três tintas foscas é a resistência, alcançada com a quantidade de emulsão utilizada na formulação. Outro ponto que, neste caso, causa diferenças é o teor do pigmento dióxido de titânio, que confere ao látex a cobertura úmida e o rendimento.

Assim, o látex premium fosco é o que tem mais emulsão e mais dióxido de titânio, o látex standard fosco tem quantidade medianas de emulsão e titânio, e a tinta látex econômica é a que tem menores quantidade sendo indicada apenas para a pintura interna.

Nenhum comentário:

Postar um comentário